Marinha Meteorologia e Oceanografia

Avisos de Mau Tempo emitidos pelo Serviço Meteorológico Marinho

Por Fellipe Romão Sousa Correia

Crédito: Tânia Rego


A Marinha do Brasil é responsável por informar ao público em geral sobre as condições meteorológicas e do estado do mar (meteoceanográficas) em uma determinada porção do oceano Atlântico Sul, conhecida como METAREA V1

. Desta forma, são elaborados diariamente pelos Previsores do Serviço
Meteorológico Marinho (SMM), setor do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), boletins de previsão do tempo que informam as condições de vento, mar e visibilidade nas subáreas da METAREA V. Este boletim é conhecido como Meteoromarinha.

No entanto, por ser uma região extensa, a METAREA V foi subdividida em áreas menores, onde é possível detalhar a informação meteoceanográfica que está sendo divulgada na previsão. A Figura 1 apresenta a METAREA V e suas subdivisões. Considera-se como áreas costeias as áreas ALFA, BRAVO,
CHARLIE, DELTA, ECHO, FOXTROT, GOLF e HOTEL e como áreas oceânicas as áreas SUL OCEÂNICA e NORTE OCEÂNICA.

Figura 1 – Área marítima de responsabilidade do Brasil para fins de divulgação da informação meteoceanográfica (METAREA V) e suas subdivisões.

Contudo, por vezes as condições meteoceanográficas podem representar perigo aos navegantes e a população costeira. Para isso, foram pré-estabelecidas condições adversas para as quais são emitidos
informes, conhecidos como avisos de mau tempo, de modo a alertar a toda comunidade marítima sobre a determinada condição. A Tabela 1 apresenta as condições limites para a emissão dos avisos de mau tempo
utilizadas pelo SMM.

Tabela 1 – Condições adversas para emissão de avisos de mau tempo.

O trabalho diário dos Previsores no SMM é identificar essas condições adversas nos modelos numéricos de previsão da atmosfera e do estado do mar. Além disso, os avisos de mau tempo emitidos são diariamente validados com base em dados observados em estações meteorológicas costeiras, dados de aeródromos, boias meteoceanográficas e estimativas a partir de sensores a bordo de satélites, tais como o escaterômetro, que infere a velocidade e a direção do vento com base na agitação marítima, e o altímetro, que fornece a altura das ondas. Eles podem ser consultados no seguinte endereço:
https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo


Avisos de Vento
• Os avisos de vento são emitidos com base na Escala Beaufort 2 , que correlaciona o estado de agitação do mar com a velocidade do vento. Ao serem identificadas regiões na METAREA V nas quais a velocidade do vento esteja a partir de Força 7 (28 a 33 nós) ou Força 8 (34 a 40 nós), em
áreas costeiras e oceânicas, respectivamente, emite-se um aviso de vento.
• Entretanto o vento pode ultrapassar bastante esses limiares e, sendo assim, os avisos possuem em seu título a classificação de acordo com a velocidade. Exemplo: Aviso de Vento Duro (Força 9 na Escala Beaufort, que corresponde ao intervalo entre 41 e 47 nós.


Avisos de Mar
• A agitação do mar influencia diretamente na altura das ondas, o que se torna um fator de suma importância para as embarcações, principalmente para as de pequeno e médio porte, como barcos de recreação e veleiros.
• De maneira análoga aos avisos de vento, os avisos de mar são emitidos com base na Escala Douglas2 , onde cada classificação corresponde a um intervalo de altura de ondas. Conforme visto na Tabela 1, para áreas costeiras emite-se avisos a partir de mar grosso (ondas acima de 3,0
metros). Já nas áreas oceânicas, emite-se avisos a partir de mar muito grosso (ondas acima de 4,0 metros).


Avisos de Ressaca
• É comum observar-se o avanço de ondas mais elevadas na costa brasileira, principalmente após a passagem de frentes frias. Quando essas ondas ultrapassam o valor de 2,5 metros atingindo a faixa litorânea, são emitidos avisos de ressaca.
• O intuito desse tipo de aviso é alertar a população local, órgãos de Defesa Civil e demais tomadores de ação sobre a possibilidade do avanço do mar sobre as infraestruturas próximas as praias e do perigo de banho.


Avisos de Baixa Visibilidade
• Outro fator de grande importância para a navegação e atividades portuárias é a visibilidade. O SMM emite avisos de baixa visibilidade quando é prevista a formação de nevoeiros sobre determinada região da METAREA V.
• Os nevoeiros são fenômenos atmosféricos que reduzem a visibilidade horizontal (aquela que é feita a olho nu, sem auxílio de aparelhos) a menos de 1 km.


Avisos Especiais
• Por fim, um último tipo de aviso é emitido quando são identificados sistemas de baixa pressão que possuam características subtropicais ou tropicais.
• Diferentemente das baixas pressões extratropicais, aquelas que os sistemas frontais se associam, os sistemas subtropicais e tropicais ocorrem com pouca frequência no oceano Atlântico Sul. Contudo, faz-se necessário alertar a população a respeito destes sistemas em função do grande
potencial de destruição por conta da intensidade dos ventos associados e da agitação marítima que provocam.


Referências:
1 Áreas marítimas de responsabilidade do Brasil para fins de previsão do tempo:
https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-informacoes-gerais/areas-maritimas
2 Escala Beaufort e Escala Douglas do Estado do Mar:
https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-referencias/referencia

Sobre o autor

Fabrizio

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário