Vela

41 barcos disputam o 51º Circuito Rio. O evento termina na 2ªfeira.

Barco Maestrale foi o vencedor da primeira regata na orla do Rio de Janeiro e veleiro paulista Bravo, com membros de projetos sociais, ficou em segundo lugar.

Barco Maestrale, foi o vencedor da primeira regata na orla do Rio de Janeiro.
Crédito: Fred Hoffmann

Com organização do Iate Clube do Rio de Janeiro, começou nesta sexta-feira com tempo nublado e muita chuva, o 51º Circuito Rio que neste ano, é válido como o Campeonato Brasileiro da classe ORC da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano. Ao todo são 41 barcos competindo com barcos do RJ, SP, SC, ES, RS e BA, e velejadores de todos os cantos do Brasil.

Em uma regata marcada nos primeiros momentos por pouco vento, os veleiros demoraram cerca de seis a sete horas para cruzarem a linha de chegada na ilha da Laje, entrada da Baía de Guanabara. O primeiro dia teve uma regata de percurso média de 22,6 milhas náuticas com os barcos montando a boia na Boca da Barra, na altura do Joá.

A equipe Maestrale, com seu novo barco, um Felci 315, surpreendeu os favoritos e levou a vitória na primeira regata, chamada Victor Demaison, com 5h41min01 no tempo corrigido deixando em segundo lugar o veleiro paulista Bravo com um membro do projeto Grael, de Niterói (RJ), Alex Sandro, e Esdras de Jesus, do projeto social Navega SP, de Praia Grande (SP).

Avohai de Lars Grael. Crédito: Fred Hoffmann

O Avohai, de Lars Grael, fechou em terceiro lugar e com o quinto lugar da 70ª Regata Santos-Rio havia pulado para a liderança no geral acumulado da classe ORC saindo na frente na luta pelo título Brasileiro, mas após protestos julgados na manhã deste sábado, o barco Xamã/Red Noose, assumiu a liderança parcial da disputa com o Avohai em segundo e o Rudá Blue Seal em terceiro. Lars disputa o 51º Circuito Rio em seu barco junto com seu filho, o velejador profissional Nicholas Grael, de 23 anos, e sua esposa Renata, além de Clínio de Freitas, com o qual venceu sua primeira das duas medalhas olímpica, o bronze em Seul 1988.

“Foi uma regata com muitas alternativas, vento sul/sudoeste, no início fraco, depois muito instável, quase que parou, período que facilitou os barcos menores. Esse período em que os barcos ficaram sob o regime de ventos fracos, todos andam pouco e os menores como o nosso Maestrale e outros tiram proveito. Soubemos aproveitar isso, depois vieram ventos sul, rajadas muito fortes de até 27 nós. Fizemos uma balonada muito rápida, andamos a quase 15 nós e achávamos que teríamos um resultado muito bom por causa disso, até porque chegamos junto dos barcos grandes. O campeonato está apenas começando, muita água por rolar literalmente e ficamos felizes com esse primeiro resultado, barco se mostrou muito bom e sólido”, disse Adalberto Casaes, comandante do Maestrale.

Alex Sandro, do projeto Grael e tripulante do Bravo, comentou: “Ótimo resultado em condições de pouco vento até a primeira marca e muito vento com mar grosso no final. Conseguimos manter uma boa proximidade dos veleiros maiores”.

Veleiro paulista Bravo, com membros de projetos sociais, ficou em segundo lugar.
Crédito: Fred Hoffmann

Na classificação geral, o Maestrale pulou para o quinto lugar enquanto que o Bravo foi ao oitavo. O Xamã Red Noose, de Ilhabela (SP) é o segundo seguido pelo Ventaneiro 3, barco que venceu a 70ª Santos-Rio.

Na classe IRC, o Danadão, comandado por Guilherme Raffare e com Maurício Santa Cruz, pentacampeão mundial, na tripulação, foi o vencedor da regata e no acumulado geral ficou em quarto lugar. O Saravah, vice-campeão na classe na Santos-Rio, assumiu a liderança geral com o Minna, em segundo, e o Boto V, em terceiro.

Barco Danadão, comandado por Guilherme Raffare e com Maurício Santa Cruz.
Crédito: Fred Hoffmann

Na classe BRA-RGS, o vencedor da regata, foi o Nativo pulando ao quarto no geral. O líder é o Zeus seguido pelo Dona Bola e o Beleza Pura 2.

O 51º Circuito Rio segue neste sábado com regatas a partir das 13h. O Campeão Brasileiro será conhecido após a última regata da série, na 2ª feira.

Premiação 70ª Santos – Rio

A cerimônia de premiação da 70ª Santos-Rio vai acontecer neste sábado, dia 31, no Iate Clube do Rio de Janeiro a partir das 20h com destaque para a premiação La Belle Classe dos veleiros clássicos oferecido em parceria do Iate Clube de Santos junto com o Yacht Club de Monaco, que organiza a regata mais antiga do mundo. A premiação do 51º Circuito Rio será na segunda, às 19h.

Programação 51º Circuito Rio

31/11/2020 SÁBADO

13h Regata

20h Cerimônia de Premiação – Regata Santos Rio 

01/11/2020 DOMINGO

13h Regata

18h Cerimônia de Premiação da Regata Victor Demaison

02/11/2020 SEGUNDA

13h Regata

19h Cerimônia de Premiação – Pérgula da Piscina

O 51º Circuito Rio tem a organização do Iate Clube do Rio de Janeiro com apoio da Associação Brasileira Veleiros de Oceano.

Minna comandado por Elisa Mirow / Crédito: Fred Hoffmann

Confira o Resultado acumulado geral no Instagram da ABVO -@abvobrasil

Mais informações com Fabrizio Gallas pelo +55 21 994004061, ou <fabrizio@gallaspress.com.br>

Sobre o autor

Redação Rumar

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário