Canoagem

Expedição Anamauê chega no Espírito Santo

Seis remadores e velejadores do RJ e ES saíram dia 24 de Arraial D´Ajuda (BA) e chegaram na praia de Barra Nova, em São Matheus (ES). Mais de 300km foram percorridos. O destino é Niterói (RJ) totalizando 650 milhas náuticas, uma das maiores expedições de canoa havaiana já realizadas no Brasil com roteiro inédito. O próximo destino é Regência (ES).

Equipe reunida. Crédito: Divulgação

Segue com muito entusiasmo a 4ª edição da Expedição Anamauê que saiu na tarde da última quinta-feira, dia 24, da sede da Canoa Polinésia Pataxó, em Arraial D´Ajuda, no sul da Bahia, com destino a Niterói (RJ), na praia de Jurujuba, na base do Centro de Estudos do Mar – CEM.

Na última terça-feira, dia 29, os seis remadores e velejadores percorreram cerca de 80 km da praia de Mucuri, a Costa Dourada, no extremo sul da Bahia e cruzaram a divisa, chegando no Espírito Santo. Desembarcaram na praia da Barra Nova, no município de São Matheus. A previsão inicial era de parada em Conceição da Barra (ES), mas os velejadores aproveitaram as boas condições e deram um gás a mais, esticando o percurso do dia.

A tripulação de atletas do Rio de Janeiro e Espírito Santo (dois niteroienses, um carioca, uma de Vitória e os demais de Regência) já percorreram mais de 300km, pouco mais de um terço do trajeto previsto de 650 milhas náuticas (cerca de 1000km).

Preparativos na praia. Crédito: Divulgação

Dos seis dias de expedição até agora, a tripulação velejaram e remaram em cinco deles. O primeiro destino foi a praia de Corumbau, no município de Prado (BA), depois desembarcaram na praia do Prado (BA). Condições ruins impediram que a tripulação saísse no dia 26. No dia 27 foram para Nova Viçosa velejando e remando ao longo de 80 km. Na segunda-feira tiveram que abortar a chegada na divisa com o Espírito Santo por uma tempestade e desembarcaram na praia de Mucuri, na Costa Dourada.

Para quarta-feira (30/12), a previsão era de uma velejada e remada de 100km (mais de 54 milhas náuticas) para atingir Regência (ES), na base central da Canoa Polinésia Pataxó comandada por Ranin Thomé. Este pode ser o maior trecho da expedição.

Descanso merecido. Crédito: Divulgação

“Nosso trajeto mais intenso e difícil até aqui foi de Nova Viçosa até Mucuri (Costa Dourada). Começamos sem vento, remamos aproximadamente três horas e meia até que chegou um vento de leste bem forte, condições ficaram mais duras e tivemos que mudar nosso destino final aportando na Costa Dourada”, disse Daniel Gnone, carioca e o mais jovem da tripulação: “Avistamos a tempestade e a tripulação concordou em parar em Mucuri. O desembarque foi bem complicado para nossa canoa pesada, mas estamos abençoados e os Deuses do Mar nos deixaram aportar. Pegamos ventos de 15 até 20 nós mais ou menos, ficamos todos bem”, comentou Douglas Moura, de Niterói (RJ), um dos líderes da expedição.

O trajeto é inédito percorrendo o litoral sul da Bahia, todo o litoral do Espírito Santo, litoral norte do Rio de janeiro, Região dos Lagos, com previsão de chegada entre os dias 10 e 20 de janeiro de 2021. Os tripulantes passam dias inteiros no mar sem o auxílio de equipamentos eletrônicos, apenas bússola e carta náutica.

A expedição está sendo feita com uma canoa havaiana V6 adaptada com duas velas que ficou pronta em parceria com a CORE VA´A.

Canoa havaiana V6 adaptada com duas velas em ação. Crédito: Divulgação

A expedição pode ser acompanhada pelo aplicativo SPOT pelo link e também pelo instagram da equipe @anamauevaa com fotos, vídeos e stories.

https://maps.findmespot.com/s/FZ3J#history/assets

Os atletas levam seus mantimentos e equipamentos de dormir para as noitadas em praias remotas do litoral.

Confira a programação do trajeto dos remadores e velejadores:

Dia 24/12 Arraial D´Ajuda – Ponta do Corumbaú (BA): 30 milhas náuticas

Dia 25/12 Ponta do Corumbaú (BA) – Prado (BA): 30 milhas

Dia 26/12 – Sem navegação – Condições ruins do mar

Dia 27 Prado (BA) – Nova Viçosa (BA)

Dia 28 Nova Viçosa (BA) – Mucuri (BA)

Dia 29 Mucuri (BA) – Barra Nova (ES): 43 Milhas Náuticas

Dia 30/12 Barra Nova – Regência (ES) : 54 Milhas Náuticas

8º Dia – Regência (ES) – Vitória (ES): 40 Mn

9º Dia – Vitória (ES) – Guarapari (ES): 35 Mn

10º Dia – Guarapari (ES) – Marataízes (ES): 30 Mn

11º Marataízes (ES) Barra de São João (RJ): 35 Mn

12º São João da Barra (RJ) Campos (RJ): 30 Mn

13º Campos (RJ) Macaé (RJ): 35 Mn

14º Macaé (RJ) Búzios (RJ): 20 Mn

15º Búzios (RJ) Arraial do Cabo (RJ): 25 Mn

16º Arraial do Cabo (RJ) Saquarema (RJ): 25 Mn

17º Saquarema (RJ) Niterói (RJ): 40 Mn

Tripulação completa, em uma das paradas. Crédito: Divulgação

Tripulação:

Douglas Moura: natural de Niterói (RJ), mora em Jurujuba, tem 39 anos, fundador do Icarahy Canoa Clube, Niihau Aventuras Controladas e do Centro de Estudos do Mar. Capitão Amador, co-fundador do Anamauê e desbravador de diversas rotas de navegação de canoa havaiana e polinésia. Ele é atleta de Canoa Havaiana desde 2005. Em competição disputou provas como a Rio VA`A, Santo Amaro, Vendee VA`A (maior da europa e 2ª maior do mundo, na França), Vancouver Island Challenge (Canadá); Lotus VA`A Challenge;

Ranin Thomé: 31 anos, natural de Regência (ES), é oceanógrafo, instrutor e atleta de Va´A, do clube CPP Extreme. Apaixonado por canoa polinésia e com experiência em velejadas, construção de canoas e longas travessias;

Dayana Gualberto: de 33 anos, reside em Regência (ES) . Professora e instrutura de Va´A do CPP Extreme . Idealizadora do projeto social Cablocos para o Planeta , experiências em travessias de vela oceânica e canoa polinésia;

Tavo Calfat: natural de Niterói (RJ), 47 anos, desenhista industrial, velejador desde os sete anos e remador de canoa desde os 2007. Passou boa parte da vida em barcos à vela, já realizou travessias oceânicas e inúmeras travessias menores. Na canoa tem títulos na Volta de Ilhabela (SP) e Rei de Búzios (RJ) onde mora hoje em dia;

Daniel Gomez Gnone: 25 anos, natural do Rio de Janeiro. Engenheiro de Produção. Fundador do Granolas Mauka e remador do Calango Wa´A. Amante da natureza e do Va´A, tendo sido criado em contato com o mar, desenvolve projetos de reciclagem de plástico para a produção de peças para navegação;

Barbara Guimarães: de 29 anos, nasceu em Sto. André (SP), se radicou e, Vitória (ES), é oceanógrafa, instrutora e atleta de Va´A, do clube CPP Extreme . Apaixonada por canoa havaiana e com experiência de longas travessias.

Amanhecer no acampamento. Crédito: Divulgação

Mais detalhes fotos e vídeos da Expedição com Fabrizio Gallas – +55 21 994004061 (tel e whatsapp)

Sobre o autor

Redação Rumar

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário