Expedições

PROJETO ROTA POLAR 2022

ROTA POLAR 2022

A 8ª Expedição do velejador Beto Pandiani que, novamente terá como companheiro de viagem o Igor Bely, foi denominada PROJETO ROTA POLAR 2022. A viagem promete ser a mais ousada desta série. Beto e Igor, provavelmente já navegaram mais de 60.000 km pelos oceanos do planeta. Juntos, cruzaram o Oceano Pacífico e o Atlântico.

Ponto de partida: Esta oitava viagem, começará de uma pequena cidade no Alasca chamada Nome. A data prevista para início da viagem, será em junho de 2022 (verão no hemisfério norte), tendo como trajetória, contornar o Estreito de Bering, navegar pelo mar do Ártico cruzando a lendária Passagem Noroeste, e por fim alcançar a Groenlândia. Esta rota, foi aberta como consequência do degelo do Ártico.

Crédito: wikipedia.org/wiki/Nome (1)

Nome é uma cidade no Alasca, Estados Unidos, localizado no sul da costa da península de Seward em Norton Sound, Mar de Bering. De acordo com a certificação do estado do Alasca de 2008, a população da cidade era de 3.570 habitantes, uma das cidades mais populosas do Alasca.

Destaque da posição de Nome no Alasca (4)
Roteiro da viagem: do Alasca a Groenlândia

O barco a ser usado nesta expedição, será um catamarã de 22 pés sem cabine que, está sendo desenvolvido pela Holos Brasil em parceria com a Universidade de Mauá. Terá um sistema de pedal para deslocamento nos trechos de calmaria, devendo ainda gerar energia. Adicionalmente, foram projetados painéis solares que irão complementar as necessidades de consumo dos tripulantes. O regime de ventos previsto no verão para esta rota, é de cerca de 15 dias sem vento para cada 30 dias corridos. Portanto, a viagem deverá ser bastante física, baseada na força humana. Para tanto, o time já iniciou sua preparação física. A Reebok montou um treinamento de 18 meses visando o condicionamento físico.

Beto se preparando fisicamente para a expedição.

Princípios que norteiam os empreendimentos do Beto: Energia limpa, sustentabilidade, autonomia, viajar leve, viajar longe e otimização de recursos. O barco de 22 pés sem cabine, segue rigorosamente estes preceitos já adotados nas viagens anteriores.

Transmissão diária de conteúdo: a viagem vai gerar uma web-serie e um longa-metragem. O material será distribuído ao longo do percurso pelas redes sociais, com um sistema de comunicação bastante moderno, complementado por comunicação telefônica via satélite, em banda larga. “Estaremos on line praticamente todos os dias e todos que acompanharem a viagem, de certa forma estarão participando desta expedição. Portanto, o conteúdo que formos produzindo durante os 100 dias de viagem, serão transmitidos em forma de diários, praticamente on line, por conta da tecnologia de transmissão de dados via satélite. Nossa parceira a Arycom prevê uma solução completa para dados em banda larga. Desta forma a viagem acontecerá com boletins diários nas redes sociais da viagem e dos parceiros do projeto”.

A chamada Rota Polar

Indagações sobre o comportamento do clima: “A meta da expedição não é só fazer a travessia mas, produzir um documentário, uma web-serie, e conteúdo em outros formatos sobre as mudanças climáticas que estão muito claras nesta região, pois a Calota Polar vem desgelando a cada ano em uma velocidade fora do padrão. Através de entrevistas com cientistas, pesquisadores, moradores locais, vamos documentar o que de fato esta acontecendo no Oceano Ártico e, quais as implicações para o planeta, caso a Calota Polar continue desgelando”.

Amir Klink com Beto Pandiani

Neste momento estou procurando empresas parceiras que tenham a mesma visão de sustentabilidade ou que tenham em sua essência, a missão de propagar valores de equilibro ao meio ambiente”.

Lars Grael

Se hoje é possível fazer esta viagem, é porque algo aconteceu e é isso que vamos procurar mostrar”, conclui Beto Pandiani.

Assista o vídeo abaixo, com depoimentos de Amir Klink, Lars Grael e, Robert Scheidt.

BETO_TEASER_EDIT_03 from SWEETHEARTED PIRATES on Vimeo.

Referências/créditos:

1- Por ra64 from nome, usa – Nome from the west, CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3678832

2- Por Alexrk2 – Obra do próprio, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=7974141

3- Por Miguillen – own work, usingUnited States National Imagery and Mapping Agency dataWorld Data Base II data, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=13278996

4- https://pt.wikipedia.org/wiki/Nome_(Alasca)

Contatos: Tel. (11) 992825649 & E-mail <pandiani@terra.com.br>

Sobre o autor

Redação Rumar

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário