paceria
Clubes

100 Anos do São Paulo Yacht Club – SPYC

pioneirosPioneiros

Há cem anos, um pequeno grupo de amigos britânicos e anglo-brasileiros arrastaram alguns barcos de construção caseira pelo mato até uma recém criada represa perto de São Paulo – iniciando o esporte da vela na cidade que se tornaria a maior da América Latina*”.

A REPRESA DE GUARAPIRANGA PASSOU A SER SELEIRO DE EXPOENTES DA VELA BRASILEIRA E INTERNACIONAL

A construção da barragem do Rio Guarapiranga entre 1906 e 1909, considerada por alguns autores como o maior projeto do tipo no Hemisfério Sul na ocasião, veio para atender a crescente necessidade de energia elétrica da Capital do Estado de São Paulo e municípios vizinhos que cresciam com a industrialização nascente e, para fazer frente as novas demandas do século XX. A empresa “São Paulo Tramway, Light & Power Company” de capital canadense, atuava na cidade de São Paulo, em atividades de geração, distribuição de energia elétrica e transporte público por bondes elétricos. Até então, os bondes eram puxados a burro. A seca de 1903 foi decisiva para a “Light & Power” que operava a usina de Santana de Parnaíba a qual para o seu funcionamento, precisava contar com um fluxo de água mais confiável. A empresa decidiu então, construir a barragem do Rio Guarapiranga.

construção da barragem

Vista panorâmica da construção da Barragem da Represa Guarapiranga, antes denominada Represa Santo Amaro em 1908

NÃO DEMOROU MUITO PARA QUE SE OFICIALIZASSE O CLUBE

A represa criou novas opções de lazer para os paulistanos e viabilizou a fundação em 1917 do São Paulo Sailing Club (mais tarde, São Paulo Yacht Club – SPYC). O Sr. Bert Greenwood, inglês, superintendente das Lojas Mappin e primeiro Comodoro, juntamente com seu colega George Holland, perceberam a possibilidade de usarem a recém criada represa para velejar.

Um problema veio logo à tona: como não existiam na época barcos à vela em São Paulo, optaram por construir seu próprio barco, o M’Boy, com 20 pés e dois mastros, na configuração vélica tipo “ketch”. O nome é em homenagem aos dois principais rios que deságuam na represa na ocasião chamados de M’Boi-Guaçu e M’Boi Mirim na língua dos índios Tupi mas, na ortografia atual.

My'Boy

Foto M’Boy velejando

O estatuto em vigor no primeiro centenário do clube, aprovado em 2004, estipula que o clube “tem por finalidade precípua, promover entre os seus associados (i) a prática dos esportes náuticos, principalmente vela; e (ii) a convivência social entre seus associados e suas respectivas famílias”.

1918 A SEDE FLUTUANTE

Foi assim que começou a vela na represa de Guarapiranga. Em seguida, vários amigos de Greenwood se animaram e também construíram seus barcos, criando inicialmente, um clube no qual as senhoras não participavam. Nesta mesma época, o Sr. Greenwood teve a ideia de construir umhouseboat” (casa flutuante) para servir como sede provisória do clube e, batizaram-na de Uno” em sua inauguração no dia 11 de agosto de 1918. Não se sabe bem o porque do nome, talvez para destacar que era o primeiro ativo real do SPYC. A “casa flutuante” passou a funcionar informalmente como local dos eventos náuticos. Era também dormitório improvisado com colchões no chão, paiol de velas, atracavam-se os barcos, etc. Com o tempo, iniciaram-se as primeiras regatas e outros clubes foram sendo criados nas margens da represa de Guarapiranga.

sede flutuante

1928 É CONSTRUÍDA A SEDE EM TERRA FIRME

Portanto, a primeira instalação oficial do clube foi uma casa flutuante. A primeira sede do clube só veio a ser construída em 1929, ao custo de 20 contos de réis. Lembra o autor, que a água corrente circulava com bomba manual. Olhando para a atual sede, no ano do seu centenário, observam-se poucos sinais de seus primórdios. A história do clube tem sido de ampliação e aperfeiçoamentos graduais, quase constantes.

atual sede

O clube é fundamentalmente voltado para o Iatismo, portanto, vários são os eventos que ocorrem durante o ano.

REGATA DE ABERTURA

A regata de abertura, que marca o início das atividades náuticas do novo ano, é realizada desde 1956. O evento comemora também o retorno das águas, a volta da “represa cheia”, época de maior índice de precipitação na cidade de São Paulo. O SPYC, tem o privilégio de organizar este evento, por ter sido o clube que trouxe o esporte para a represa.

Esta regata é uma forma de incentivar os velejadores de todos os clubes e classes a colocarem seus barcos novamente na água. Desde o início, consiste em regata de longo percurso, com partida e chegada no SPYC. Bordejando os demais clubes, faz o percurso completo da represa.

Nas primeiras edições, os prêmios eram canecas de cerveja de prata inglesa, importadas pela “Casa Prime”, entregues, após a regata num tradicional chá inglês. É hoje um dos maiores eventos de vela da América Latina: conta com a presença de aproximadamente 400 barcos e de 600 a 800 tripulantes. Como a Guarapiranga é longa e estreita, o evento promove visual de cores e movimento espetaculares, acessível a qualquer pessoa que queira acompanhá-lo das margens da represa.

regata de abertura

O sucesso da Regata de Abertura reflete o espírito de confraternização em torno do esporte da vela, o que garante a sua continuidade.

Além da Regata de Abertura, o SPYC organiza alguns campeonatos: em 2004, as seletivas e o campeonato Sul-americano da classe Lightning; e sede do Campeonato Brasileiro da classe Lightning, em 2005.

CALENDÁRIO DE REGARAS INTERNAS DO SPYC

CURIOSIDADES DO SPYC

– Os ingleses do Mappin recomendavam à sua matriz que, ao embalar os produtos para o Brasil, o fizessem em caixas de madeira de boa qualidade pois, quando a mercadoria chegava, eles guardavam as caixas para transformá-las em barcos.

– Apesar da represa ter como um de seus objetivos a geração de energia elétrica, é provável que ela só tenha chegado ao clube em 1951.

– Em fevereiro de 1985, um ciclone atingiu o SPYC, destelhando boa parte da sede do clube e arremessando barcos para fora das garagens, jogando-os a alturas fantásticas. Houve perda total de 22 barcos e danos significativos a 54 outros. Em 2004, ocorreu novo desastre: outro ciclone levou ao ar um galpão de quase 1.000 m2 e o arremessou a 100m de distância, no clube vizinho, Yacht Club Santo Amaro.

TORNADO DE 1985

Tudo acabou tão rapidamente que não houve tempo para ficar com medo”

A “São Paulo Tramway, Light and Power” foi parte de uma espiral evolutiva contribuindo para São Paulo se transformar na maior cidade das Américas, ultrapassando os 12 milhões de habitantes em 2016. Por sua vez, a decisão de construir a barragem do Rio Guarapiranga por conta da seca em 1903, criou a represa que viabilizou a fundação do São Paulo Sailing Club (SPSC) em 1917. A trajetória ascendente não foi mais interrompida. Nos próximos 42 anos, surgiriam na represa de Guarapiranga mais 5 clubes de vela a saber:

1917 – São Paulo Sailing Club (SPSC), atual São Paulo Yacht Club (SPYC);

1930 – Deutscher Segel-club (DSC), atual Yacht Club Santo Amaro (YCSA);

1932 -Yacht Club Paulista (YCP);

1934 – Yacht Club Itália, atual Yacht Club Itaupu (YCY);

1937 – Clube de Campo de São Paulo (CCSP);

1959 – Clube de Campo Castelo (CCC).

Estavam prontas as condições para tornar a represa de Guarapiranga o celeiro dos maiores expoentes da Vela Brasileira e Internacional. Jan Willem Atem foi o único sócio do SPYC, a competir em Jogos Olímpicos. A competição aconteceu em Keil, nos Jogos de Munique (1972) e, Jam W. Atem participou como proeiro de Jörge Bruder (sócio do YCSA) na Clase Star.

Não sabemos hoje, se na visão de futuro do Sr. Bert Greenwood e dos Diretores da “São Paulo Tramway, Light & Power Company” poderiam captar a dimensão dos desdobramentos promovidos por suas iniciativas.

Viva os pioneiros! Obrigado, Greenwood.

640px-Barragem_Guarapiranga-Sao_Paulo

Vista aérea atual da barragem Guarapiranga com o Rio Pinheiros à frente – São Paulo

Referências:

1- 100 Anos da Fundação do SPYC (* citação contida na contracapa do livro);

2- http://www.spyc.com.br/clube/

3- https://pt.wikipedia.org/wiki/Represa_de_Guarapirang

4- http://www.saopauloantiga.com.br/os-enderecos-da-light/

5http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=355030

6- http://alotatuape.com.br/abastecimento-de-agua-em-sao-paulo/

7- https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Barragem_Guarapiranga-Sao_Paulo.jpg

8http://www.360graus.com.br/iatismo/default.asp?did=2137&action=hist%F3ria história da vela no brasil

SPYC Capa 2

Sobre o autor

Redação Rumar

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário