Expedições

O Pêndulo

E o pêndulo da história continua a balançar, e ele viaja de um lado para o outro anunciando o tempo passar.

O movimento do pêndulo nos mostra como funciona a mente humana, pois para cada movimento podemos visitar diversas programações, pontos de vistas, interesses, preconceitos, máscaras, julgamentos e muita incoerência.

O equilíbrio só pode um dia ser alcançado enquanto o pêndulo continuar no seu eterno balançar, pois vida é movimento. Mas onde anda a sensatez destas mentes diante do movimento?

O que eu percebo é que todos estão fazendo esta mesma pergunta, onde mora a sensatez? Em tempos de intensa polarização o pêndulo em seu movimento visita ambos os lados, alternando paixões, opiniões, valores, vícios e a ideologia.

Mas o tempo que vivemos graças a tecnologia está expondo muitas feridas, e isto está sendo fundamental e maravilhoso do ponto de vista da oportunidade que está se avizinhando. Talvez este momento da história seja um dos mais ricos e valiosos que já vivemos, pois ele está nos avisando que o tempo de nos olharmos chegou.

O equilíbrio do pêndulo não está em nenhum dos lados. A sensatez não virá nos visitar se fizermos apenas concessões. Na minha maneira de ver, toda a dor que está sendo exposta é o reflexo de como estamos lidando com o movimento do pêndulo, pois o equilíbrio não está em nenhum dos lados.

Poucos entenderam que o movimento do pêndulo expõe as nossas próprias incoerências, as nossas reclamações, a nossa raiva, as nossas vaidades, as nossas certezas, e finalmente toda a nossa imperfeição momentânea. Apenas isso que precisa ser revisto. Não é para fora que devemos olhar. Este é o jogo, todo o resto é ilusão e medo.

Assim como o relógio do tempo pendula, o nosso coração bate nos avisando que temos um tempo limitado aqui na Terra para decidirmos. Mas como coloquei, a vida está nos fazendo um convite muito raro e precioso para fazermos uma escolha que não está como parece em nenhum lado que o pêndulo balança.

Chega de brigas, de acusações, de incompreensão. Sejamos honestos individualmente, pois chegou o tempo de termos coragem de olharmos para as nossas questões de frente com coragem para nos perdoarmos com humildade, aceitação e compaixão.

Sei que é difícil, mas o que está acontecendo aí fora é apenas o reflexo do que acontece com cada mente. Enquanto a polarização continuar, o pêndulo irá continuar visitando as extremidades, e você que dá apoio aos extremos ajuda a impulsionar o desequilíbrio.

A radicalização que acontece nas ruas é o reflexo das mentes controladas.

Vamos lembrar, só existem dois lados, o amor e o medo. Nas extremidades do pêndulo encontramos o medo. Fica a reflexão: Onde esta o amor?

Quem pode fazer este resgate não é nenhum super-herói, mas sim o herói que mora dentro de cada um.

Beto Pandiani.

Velejador, palestrante.

Contatos: Tel. (11) 992825649 & E-mail <pandiani@terra.com.br>